PRESTES A COMPLETAR UM ANO EM RIBEIRA DO POMBAL, DELEGADO FAZ UM BALANÇO DO TRABALHO DA POLÍCIA CIVIL NESSE PERÍODO

229
COMPARTILHE

img-20161230-wa00051O Delegado, Dr. Sérgio Fabiano de Carvalho, que está à frente da Delegacia de Polícia Civil de Ribeira do Pombal desde o dia 15 de janeiro deste ano, concedeu entrevista à Pombal FM, na manhã da última quinta-feira, 29.

O delegado disse que nesse período a Polícia Judiciária cumpriu o seu papel e que houve um trabalho direcionado para o combate ao crime organizado.

Segundo o delegado, muitos autores de homicídios, tráfico de drogas e crime contra o patrimônio, foram tirados de circulação, aproximadamente 140 menores de idade e 240 adultos, todos integrantes de organizações criminosas.  “Houve situações em que um só procedimento, nós contamos com 23 indiciados, numa só operação; outras com dezoito indiciados”, informou destacando que diante das provas robustas colhidas esses criminosos ainda estão presos.

Sérgio Fabiano fez questão de ressaltar a união das forças estatais de segurança, como Polícia Civil, Polícia Militar e até Federal,  cada uma atuando dentro de suas atribuições, mas de forma colaborativa. “Houve um trabalho conjunto, uníssono, que nós podemos dizer que foi exitoso”.

Ele disse que muitas operações realizadas em outras regiões da Bahia e no estado de Sergipe, foram derivadas de informações do Serviço de Inteligência da Delegacia de Ribeira do Pombal.

O delegado acrescentou que o trabalho de sua equipe priorizou capturar os líderes de duas facções criminosas existentes no município, e todos eles têm diversos mandados de prisão. Porém, chamou atenção para a capacidade que essas facções têm de se reorganizar e conseguir novos líderes, o que faz com que o combate a elas tenha que ser frequente e insistentemente.

Sobre o número de homicídios ocorrido este ano, ele disse que quando assumiu a Delegacia, alguns deles já haviam acontecido e que a tarefa da Polícia Civil é investigar, cabendo à Polícia Militar o trabalho de prevenção. Sérgio Fabiano disse ainda que praticamente todos os autores desse crimes foram identificados, alguns estão presos e outros foragidos, mas a polícia está no encalço deles.

Ele informou que houve um aumento do número de homicídios na 25ª Coordenadoria de maneira geral, mas proporcionalmente diminuiu em Ribeira do Pombal, se comparado com outras cidades, inclusive Euclides da Cunha.

Sobre a transferência de presos, ele disse que nas últimas semanas, 35 foram transferidos, mas que outros já haviam sido transferidos durante o ano, alertando porém que não é obrigação da Polícia Civil custodiar esses presos e sim da Secretaria de Cidadania e Justiça. “Esses presos não são da Polícia Civil, eles são do Judiciário, da Justiça, estão à disposição da justiça”, finalizou chamando atenção de que o trabalho da Polícia Judiciária de custodiar preso é ilegal, o que acaba acarretando na violação involuntária do muitos direitos humanos desses detentos devido ao funcionamento do próprio sistema, e que por isso pediu e defendeu a interdição da Carceragem da Delegacia de Ribeira do Pombal, mas, segundo ele, o Ministério Público não propôs a Ação Civil Pública com essa finalidade.

alfa-planejados-marca-02

Redação e foto Pombalfm.com.br